quarta-feira, julho 24, 2024

Últimas Notícias

Energia elétrica em casa: os principais mitos e verdades

Sil Fios e Cabos Elétricos esclarece mitos e verdades sobre instalações elétricas residenciais
Desmistificar as crenças populares sobre a energia elétrica é essencial para promover um consumo mais seguro e eficiente. A Sil Fios e Cabos Elétricos preparou um guia detalhado para facilitar a vida dentro de casa

A energia elétrica é um recurso essencial em nossas vidas, mas também fonte de dúvidas clássicas que incorrem, comumente, em respostas erradas. Presente no dia a dia dos brasileiros, a Sil Fios e Cabos Elétricos, maior fabricante de condutores de baixa tensão do país, enumerou 9 questões muito frequentes no cotidiano residencial.

Não dá para pensar na vida sem eletricidade, pois ela é essencial para alimentar nossos eletrodomésticos, iluminar ambientes e proporcionar momentos de trabalho e lazer. Mas, como qualquer ferramenta poderosa, a energia elétrica precisa ser usada com cautela e responsabilidade”, recomenda Nelson Volyk, gerente de Engenharia de Produtos da empresa.

A seguir, acompanhe os mitos e verdades elucidados por ele:

1.    Equipamento ligado em 220 V gasta menos do que um ligado em 127 V?

Mito! De acordo com o especialista, o consumo elétrico de um aparelho é determinado pela sua potência, expressa em watts (W), e não pela tensão à qual está conectado. “A mesma quantidade de energia será consumida independentemente da tensão, desde que a potência do aparelho seja a mesma“, afirma Nelson.

2.    Instalações elétricas antigas afetam a conta de energia?

Verdade. A Sil Fios e Cabos Elétricos comumente enfatiza a importância de refazer as instalações executadas nas décadas de 1970 e 1980, pois é natural que o PVC dos condutores tenha ressecado – problema que causa fuga de corrente capaz de impactar na elevação do consumo mensal de energia. Além disso, o gerente da marca, que é líder no segmento, ressalta que esses sistemas antigos não suportam a instalação de dispositivos de segurança modernos, como o Dispositivo Diferencial Residual (DR).

Com o aumento do uso de aparelhos elétricos modernos, as demandas sobre os sistemas elétricos aumentaram, resultando em perdas elétricas e valores mais altos na conta de energia nas instalações antigas, que não foram projetadas para essa nova realidade.

3.    É seguro usar um adaptador para conectar um plug de 20 A em uma tomada de 10 A?

Mito. Nelson explica que muitos brasileiros acreditam na eficácia de utilizar um adaptador para conectar um plug de 20 A em uma tomada de 10 A, entretanto o comportamento pode incorrer em danos perigosos. “Adaptadores inadequados resultam em sobrecarga na tomada, aquecimento excessivo, derretimento do adaptador e potencial risco de incêndio“, enumera ele sobre as ocorrências dessa ação.

Além disso, essa prática ainda danifica tanto a tomada como pode prejudicar o aparelho conectado.

4.    É possível usar benjamin para conectar mais de um aparelho na tomada?

Sim, verdade. Mas, é fundamental que a soma do consumo elétrico desses aparelhos não ultrapasse 10 A e, para chegar nessa conclusão, o gerente da Sil Fios e Cabos Elétricos recomenda verificar a corrente elétrica (em amperes) que cada aparelho consome.

Quando o equipamento demandar um consumo elevado, o correto é não utilizar benjamin.

5.    É verdade que os cabos flexíveis consomem mais energia do que os rígidos?

Não. No segmento, algumas pessoas possuem essa crença errônea, mas o fato é que não há diferença na capacidade de condução de energia entre cabo flexível e cabo rígido, desde que sejam comparados na mesma seção nominal. A escolha entre um e outro deve ser baseada na flexibilidade necessária para a instalação.

Do portfólio da Sil Fios e Cabos Elétricos, o produto mais usado nas instalações elétricas brasileiras é o Cabos FlexSil 750V, reconhecidos por sua excelente flexibilidade e facilidade na instalação.

6.    O cabo para chuveiro elétrico deve ser sempre de 6mm²?

Não. A seção do cabo deve ser especificada pelo fabricante do chuveiro que pode indicar seções de 4 mm², 6 mm² ou até de 10 mm², dependendo da potência e tensão do chuveiro.

Cabos com seção nominal menor do que o adequado geram aquecimento excessivo que, por sua vez, não apenas eleva o risco de curto-circuito, como também faz subir o valor da conta de energia no fim do mês“, aponta o especialista da Sil Fios e Cabos Elétricos.

7.    Eletricistas podem trabalhar em tomadas sem desligar a energia?

Não, pois isso é perigosíssimo! A calosidade nas mãos pode oferecer alguma resistência ao choque, mas não elimina o risco de acidentes graves. Portanto, a conduta de não desligar a energia no quadro de distribuição pode causar choques elétricos que costuma causar lesões sérias ou até ser fatais.

8.    É possível trocar o chuveiro elétrico por um modelo mais potente sem alterar a instalação elétrica? Nem sempre. Trocar um chuveiro elétrico por outro de maior potência exige uma análise cuidadosa do disjuntor e do condutor elétrico que alimenta o aparelho. Ignorar essas especificações pode ocasionar desligamentos frequentes do disjuntor devido à sobrecarga de energia no circuito, aquecimento do condutor e devido a isso conta de energia mais alta.  9.    O cabo desbitolado deixa a conta de energia mais alta? Sim. O cabo desbitolado, ou seja, aquele com menos cobre do que o especificado, possui menor capacidade de condução de corrente elétrica e devido a este fato gera aquecimento do cabo. Este aquecimento é um consumo de energia, que é cobrada na conta de energia elétrica.
Sobre a Sil Fios e Cabos Elétricos   A Sil Fios e Cabos Elétricos atua na produção e comercialização de Fios e Cabos Elétricos de baixa tensão desde 1974. Em 2024, a empresa foi laureada com o prêmio Anamaco – Master (categoria Fios e Cabos), ABREME (categoria ouro em 2024) em fios e cabos elétricos, Top of Mind e Melhor Produto do Ano pelo Grupo Revenda.  Em 2022, ao contabilizar o volume de material produzido, seria possível realizar 22 voltas ao redor da Terra. Empresa nacional, líder de mercado, a Sil conta com alta tecnologia na fabricação dos fios e cabos de qualidade para uso em instalações elétricas com tensões de até 1 kV (baixa tensão).  Em 1956, o Sr. Silvio Barone — o precursor da Sil —, iniciou sua trajetória com a abertura da Elétrica Danúbio, loja varejista revendedora de materiais elétricos. Com muito trabalho, o negócio expandiu e alcançou a abertura de outras filiais. Graças a sua visão empreendedora, o Sr. Barone realizou um novo sonho e adquiriu, em 1974, uma pequena fábrica para produzir os próprios fios e cabos elétricos. Assim, deu início a Sil Fios e Cabos Elétricos, que atualmente emprega mais de 500 colaboradores.  É por meio da transformação do cobre com alto grau de pureza e do composto isolante, específico para cada produto, que a companhia produz fios e cabos elétricos para instalações elétricas com tensões de até 1 kV (baixa tensão), bem como: cabos solda, de dados e cabo solar para sistemas fotovoltaicos. A Sil atende projetos residenciais, comerciais e industriais. Instagram: @sil_fios_e_cabos 

Latest Posts

MAIS VISTAS