- Publicidade -

Produzidas totalmente personalizadas para os pés e para o tipo de calçado, existem opções para uso até mesmo no sapato de salto alto

O se aproxima e os foliões que costumam encarar maratonas de blocos de rua, bailes e até mesmo desfiles no sambódromo, começam a ter duas preocupações. A primeira é a roupa, já a segunda é como escolher o calçado ideal para não sofrer com dores nos pés e pernas. Uma dica é, ao invés de se preocupar com o calçado, ter atenção às palmilhas, como as oferecidas pela Pés Sem . Estas podem ser produzidas sob medida e oferecem maior proteção, conforto e equilíbrio até mesmo no sapato de salto alto.

No caso do salto alto, devido à sua inclinação, naturalmente já ocorre um aumento da pressão plantar na região dos metatarsos e dedos. Esta é a causa da dor e o incômodo tão comum ao utilizar esse tipo de sapato.

Contudo, este desconforto pode ser minimizado consideravelmente e até evitado, inclusive para quem vai cair no samba e não quer perder o estilo e a elegância que o salto oferece ao .

Uma sob medida atua na redistribuição da pressão localizada na região dos dedos, eliminando essa tensão e proporcionando alívio imediato. Isso é possível porque há um apoio retrocapital que é responsável por aumentar o espaço entre os ossos da ponta dos pés, melhorando o apoio nas cabeças dos metatarsos. Além disso, as palmilhas também possuem preenchimento de arco e um ponto de alívio localizado na região do calcanhar.

Para os sapatos de salto alto, a palmilha tem um formato ¾ que possibilita um molde adaptável dentro de qualquer tipo de calçado, sem escorregar nos pés. Na Pés Sem Dor, após um exame de última geração que faz um escaneamento dos pés, as palmilhas são fabricadas uma a uma em impressoras 3D com filamentos de TPU, o poliuretano termoplástico, material com maior durabilidade, mantendo suas características e funcionalidades por tempo indeterminado.

Veja Também  Coronavírus é preocupação no mundo e aumenta necessidade de prevenção

“Independente do carnaval, é importante ressaltar que o uso do salto alto por longos períodos pode fazer mal a saúde, alterando a forma de pisar e a postura, gerando problemas que podem ir desde o pé até a coluna. Por isso, use-o moderadamente e, se possível, com palmilhas adequadas para minimizar os danos”, explica Mateus Martinez, Diretor de da Pés Sem Dor.”.

Sobre a Pés Sem Dor 

Em 2009, Thomas Case buscava uma solução para seus próprios problemas com a dor devido aos seus pés chatos, tornozelos desabados e problemas no joelho. A simples confecção de uma palmilha ortopédica sob medida conseguiu alcançar um alívio total. A partir dessa experiência e com sua visão empreendedora, avaliou que este poderia ser um mercado muito interessante, já que dores desse tipo são um problema comum na rotina das pessoas.  

Seu desafio na época era massificar o desenvolvimento e distribuição daquelas palmilhas até então produzidas de forma artesanal e, consequentemente, muito limitada. A partir desse propósito o negócio foi rapidamente estruturado com a realização de investimentos nas mais avançadas tecnologias de escaneamento digital, inteligência artificial e impressão 3D. Nascia então a Pés Sem Dor. 

Atualmente, são 55 pontos de avaliação e vendas onde trabalham 108 fisioterapeutas. A linha de produção que recebe um a um os pedidos totalmente personalizados é composta por 110 impressoras, formando o maior parque de impressoras 3D do Brasil. Um processo totalmente sustentável sem produção de resíduos e ainda sem poluição sonora. 

São diversos tipos de palmilhas, de acordo com seu uso, como as específicas para uso em tênis, chuteiras, sapatos de salto alto, chinelos, etc. Todas produzidas em filamentos de TPU (poliuretano termoplástico), um material que possui resistência e flexibilidade garantindo mais conforto e durabilidade. 

Veja Também  Lucerna, na Suíça, movimenta o turismo com festivais de música

www.pessemdor.com.br 

- Publicidade -

Deixe uma resposta