sábado, abril 20, 2024

Últimas Notícias

Cidade de São Paulo é personagem em “Saudosa Maloca”, sobre Adoniran Barbosa

Filme que traz Paulo Miklos como o sambista chega aos cinemas nesta quinta-feira (21)

Chega aos cinemas nesta quinta-feira (21) o longa “Saudosa Maloca“. O filme aborda Adoniran Barbosa, um dos sambistas mais importantes do país e que fez sucessos como “Trem das Onze”, “Tiro ao Álvaro” e a faixa que carrega o mesmo nome do longa.

O filme dirigido por Pedro Serrano traz o cantor Paulo Miklos na pele de Adoniran, que conquista ao utilizar os trejeitos e fala característicos do sambista.

O enredo ocorre em torno da maloca citada na música, em que Adoniran Barbosa teria vivido com seus amigos Joca e Mato Grosso. Na versão cinematográfica, os personagens são interpretados por Gustavo Machado e Gero Camilo, respectivamente.

Tudo é contado em uma mesa de bar, centrada na conversa entre Adoniran com o jovem garçom Cícero – o Ciço – interpretado por Sidney Santiago. Em tom de memórias, o filme retrata o que foi vivido em “Saudosa Maloca” e os personagens que existiram – de verdade ou não – nas canções do sambista.

O elenco ainda conta com artista como Leilah Moreno e Paulo Tiefentha. O filme foi exibido na última edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

São Paulo, uma personagem

Parafraseando Beth Carvalho: “quem nunca viu o samba amanhecer, vai no Bixiga para ver”. Mesmo após décadas, o bairro da região central segue sendo como o coração do samba paulistano. Em “Saudosa Maloca”, o bairro que viu diversas rodas de samba madrugada adentro (e segue com elas até hoje) também foi cenário para contar a história do sambista mais importante da capital paulista.

“Bixiga é o nosso cenário principal”, disse Paulo Miklos em entrevista à CNN. “São Paulo é uma personagem do filme e aí a escolha das locações foi muito importante para você deslumbrar essa São Paulo antiga e em transformação.”

“Em alguns momentos é um Bixiga imaginário, porque a gente quis contextualizar lá por causa da ligação do Adoniran acabou tendo com o bairro, folclórico”, conta Pedro Serrano, diretor do filme. “Porque ele mesmo nunca morou lá. Muita gente pensa que sim, mas não – era uma ligação que ele tinha de frequentar e fazer uma boêmia vespertina lá.”

Outro personagem que se torna essencial na narrativa é Cícero, o garçom que atende Adoniram em “Saudosa Maloca”.

Cícero, no caso, não é personagem que existiu em um samba – mas tem várias funções dramáticas no filme. “Ele simboliza essa passagem do velho para o novo, das antigas gerações passando essa tradição para uma nova – que é como a obra do Adoniran acaba passando”, explica Serrano.

A criação do personagem não foi apenas como método narrativo. Ao citar a pesquisa feita sobre o sambista, que resultou também no documentário “Adoniran – Meu Nome é João Rubinato”, de 2018, Serrano ressalta uma fala de Adoniran Barbosa que dizia que a primeira coisa que ele fazia ao chegar em um bar era fazer amizade com o garçom.

Isso para conseguir desconto na hora de fechar a conta, claro. Mas que acabou se tornando um traço das relações interpessoais que foram abordadas no filme que, apesar de ficção, teve estudo em cima da figura histórica do samba.

Músicas de Adoniran Barbosa ganham vida em filme

Além da faixa central, “Saudosa Maloca”, dar o nome e o enredo do longa, outras músicas acabaram por criar personagens e acontecimentos no roteiro pensado por Serrano.

“Eu brinco que a gente estava montando um quebra-cabeça”, conta. “Foi montado de forma natural para mim, encaixando um verso de música no outro porque eu já sabia a história que eu queria contar, então ia pescando coisas que a obra [de samba feita por Adoniram] oferecia, mas algumas partes de ele atuando na rádio, e encaixando isso na história.”

“Então foi essa montagem de quebra-cabeça de brincar onde que cada personagem poderia entrar, cada frase de música poderia entrar – se ela ia entrar, se isso seria como frase, como dramaturgia, se iria ser cantada ou apenas uma imagem”, contou.

Um exemplo é “Iracema”. A canção de Adoniran, que chegou a ser gravada também com a voz de Clara Nunes, vira uma mulher forte com fim trágico no filme. A trabalhadora de um bar que deseja ser estilista de moda mostra a realidade de brasileiros que precisam muitas vezes fazer a dupla jornada em busca de seguir seu sonho profissional.

“O processo de fazer o roteiro era muito mais sobre o como do que o quê, então como as coisas acontecem e não o que acontece”, continua Serrano. “Então mais do que uma trama, o trabalho foi criar personagens fortes que o público criasse empatia para depois rir e sofrer junto.”

A versão de Paulo Miklos

O Adoniran que é visto nas telonas é obra do cantor Paulo Miklos. “Eu fiquei muito à vontade de criar um Adoniran meu porque os personagens fictícios também entraram no filme, também tiveram que ser criados”, explica. “Então nesse processo eu pude me descolar do desejo de fazer uma imitação num personagem que é tão marcante.”

“Eu pude me descolar disso para ter uma atitude mais natural, deixar rolar o Adoniran para o filme com essa liberdade que o Pedro me deu”, conta.

O primeiro contato de Miklos foi na adolescência. Por sua relação pessoal com a música, Paulo Miklos sempre se considerou muito fã de músicas de Adoniran antes da gravação de “Tiro Ao Álvaro”, por exemplo, que foi o maior sucesso comercial do sambista. “Eu sempre fui ligado”, diz, ao citar os sucessos de Adoniran.

A faixa que Paulo Miklos ressalta é “Um Samba no Bixiga”. A faixa, em questão, retrata uma briga, um “quebra-pau generalizado” – que chega a ser retratado em um momento cômico no filme.

“Saudosa Maloca” chega aos cinemas nesta quinta-feira (21). Mas para quem estiver em São Paulo e quiser ver Paulo Miklos como Paulo Miklos, ele sobe ao palco do Lollapalooza Brasil no reencontro dos Titãs no próximo sábado (23).

Confira o trailer de “Saudosa Maloca”, com Paulo Miklos interpretando o sambista Adoniran Barbosa:

Com informações de CNN.

Latest Posts

MAIS VISTAS

Pular para a barra de ferramentas