quarta-feira, abril 17, 2024

Últimas Notícias

Cannabis medicinal e idosos: saiba o real potencial terapêutico para a terceira idade

De acordo com projeções da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2023 a população brasileira passou para 215 milhões de pessoas. Destas, 33 milhões são idosos, o que representa 15% do total da população no país. Outro dado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que, no Brasil, o número de pessoas com mais de 65 anos aumentou quase 40% em nove anos. Com o evidente envelhecimento da população, cada vez mais são necessários cuidados para manter a qualidade de vida na terceira idade, e é justamente nesse ponto que a cannabis medicinal entra como uma forte aliada.
 

De acordo Letícia Mayer, médica da Gravital, clínica focada em tratamentos à base de cannabis, os derivados da planta podem oferecer diversos benefícios para pacientes geriátricos, especialmente como alternativas ou complementos a terapias farmacológicas convencionais, muitas vezes insuficientes para controle de sintomas ou acompanhadas de efeitos colaterais significativos. “As principais condições ou sintomas que podem ser melhorados com esses compostos são dor crônica, insônia, perda de peso, ansiedade e depressão, demências e sintomas da Doença de Parkinson, além do efeito neuroprotetor”, afirma a médica, que é especialista em geriatria e cuidados paliativos.
 

Resultados promissores no controle de doenças
 

A médica também explica que, na terceira idade, a cannabis surge como aliada nos casos em que outros recursos já não surtem mais efeito, como as doenças de origem neurológica, que não apresentam tratamento adequado ou são resistentes aos medicamentos. “Nesse contexto, os derivados da cannabis surgem com força. Costumo dizer que, frente a doenças sem possibilidade de cura e com poucos recursos terapêuticos, negar a um paciente um tratamento que pode trazer benefícios é até imprudente”, afirma ela. Além disso, o uso medicinal da planta inclui benefícios como alívio de dores, melhora do sono e do apetite, controle de sintomas ansiosos e depressivos, melhora de condições inflamatórias de maneira geral e de sintomas nas doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Alzheimer. “Idosos com câncer também apresentam benefícios no alívio dos sintomas da quimioterapia. Eles ocorrem, principalmente, quando os canabinoides são associados aos tratamentos direcionados para as doenças causadoras”, explica.

Tratamento em casos de demência
 

A utilização da cannabis no tratamento da demência é um tema de pesquisa em constante evolução, além de muito necessário. Isso porque, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de pessoas com demência vai crescer em mais de 150% até 2050, passando de 55 milhões para 139 milhões de casos. Segundo a médica, apesar das pesquisas a respeito da atuação da cannabis em casos de demência ainda estarem em andamento, ela vê na prática evidências dos benefícios. “As melhoras são significativas, especialmente no manejo dos sintomas comportamentais como agitação, agressividade, insônia, perda de apetite e ansiedade. A cannabis medicinal tem potencial para atuar como ansiolítico, sedativo, analgésico e neuroprotetor, ajudando a manejar esses sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes e a carga sobre os cuidadores”, afirma ela.
 

Tempo de resposta ao tratamento na terceira idade

Sobre a melhora dos pacientes, ela explica que isso depende do sintoma que está sendo tratado, além da via de administração dos medicamentos e da sensibilidade individual, já que a resposta aos derivados da cannabis varia muito entre os indivíduos. “Os efeitos mais rápidos são vistos no sono e podem melhorar já nos primeiros dias. A dor também pode melhorar de maneira relativamente rápida, assim como as náuseas e vômitos associados à quimioterapia. Mas, de maneira geral, costumo dizer que, para as condições crônicas, os benefícios surgem ao longo das primeiras semanas ou meses de tratamento”, finaliza a médica.
 

Sobre a Gravital
 

Fundada no Rio de Janeiro em 2019, a Gravital é a primeira clínica focada em terapias à base de cannabis do Brasil. Possui hoje seis unidades no País: Rio de Janeiro, São Paulo, Sorocaba (SP), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS) e Natal (RN). Oferece consultas presenciais e a distância, através de telemedicina. Com uma equipe multidisciplinar, atende pacientes em tratamentos de condições clínicas como insônia, doenças autoimunes, dores crônicas, fibromialgia, enxaqueca, autismo, doenças neurodegenerativas como Parkinson e Alzheimer, entre outras. Quase 8 mil consultas já foram realizadas pela rede, que tem mais de 40 médicos e mais de 12 especialidades diferentes. Possui também o Clube Gravital, primeiro serviço de saúde por assinatura focado em terapia à base de cannabis no Brasil.

Latest Posts

MAIS VISTAS

Pular para a barra de ferramentas