- Publicidade -

No fim da tarde desta quinta-feira, dia 21, a da Criança e Adolescente Vítima do Rio de Janeiro (DCAV) disse que vai intimar os pais Francinete e Maurício, pais de , de 14 anos, e , de 5 anos, após a polêmica em que usuários do Twitter sugeriram que estaria obrigando as próprias filhas a se exporem à situações constrangedoras em nome do humor no do YouTube. Já a Promotoria de Justiça de Infância e Juventude de Maricá confirmou que instaurou um processo administrativo.

Segundo informações da assessoria da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro ao EXTRA, “a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) instaurou um procedimento para verificar a procedência da informação. Os pais da adolescente serão intimados para prestar esclarecimentos”.

A Promotoria de Justiça de Infância e Juventude de Maricá também determinou a instauração de procedimento administrativo, neste caso para a “apuração dos fatos e identificação de eventual violação dos direitos da criança”, concluiu, em nota ao EXTRA.

Entenda o caso

A família do canal infanto-juvenil “Fran para meninas” virou alvo de polêmica nos últimos dias das redes sociais por conta de vídeos publicados. Fãs sugeriram que Francinete, mãe de Bel, de 13 anos, e Nina, de 5 anos, estaria obrigando as próprias filhas a se exporem a situações constrangedoras em nome do humor no conteúdo. Francinete e Maurício, pais das crianças, se defenderam das acusações após o contato do EXTRA.

Nas redes sociais, a família publicou uma foto em que aparecem juntos e acusaram as pessoas de passarem de “espalharem ódio gratuito”. “Nós seguimos acreditando na família e no amor”, diz o texto, que teve os comentários restringidos.

Devido às denúncias, o Conselho tutelar de Maricá visitou a casa da família para uma primeira análise. Em entrevista coletiva, comandada por Alan Christi, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, os profissionais disseram que a família está abalada.

- Publicidade -

Deixe uma resposta